"Esforça-te como se nunca tivesses ganho,
actua como se nunca tivesses perdido!"

Os 5 erros do novo empreendedor

Não deixe que estes erros co­muns en­fra­queçam o seu novo ne­gócio.

Muitos em­pre­sá­rios são auto-di­datas, por isso não é ne­nhuma sur­presa que sigam o ca­minho er­rado de vez em quando.

En­quanto não pode prever todos os erros que vai fazer, existem al­guns erros que acon­tecem com mais frequência do que ou­tros. Leia mais para aprender cinco dos erros mais co­muns que os novos em­pre­sá­rios fazem para que possa agir agora, em vez de re­agir mais tarde.

1. Tentar fazer muito de uma vez

Quando está apenas a co­meçar como em­pre­sário, há uma pressão para usar tantos cha­péus quanto pos­sível, a fim de manter os custos baixos. Em­bora tomar todos os pa­péis que puder seja lou­vável, não é uma boa es­tra­tégia de ne­gócio. No en­tanto, mesmo quando ainda não tenha ha­vido lucro, a ter­cei­ri­zação e a au­to­mação de ta­refas ro­ti­neiras é ne­ces­sária para que seja capaz de se con­cen­trar nos pa­péis e res­pon­sa­bi­li­dades onde é o me­lhor.

Aqui estão al­gumas ideias para ter­cei­rizar o seu tra­balho:

  • Contabilidade: Deixe as finanças para profissionais. Encontre um contabilista de confiança e que tenha experiência em trabalhar com empresários e novos negócios.
  • Investigação: Deixar um assistente virtual assumir o aspecto de investigação de qualquer projeto pode melhorar drasticamente a sua produtividade global.
  • Edição: Se passar os seus dias a escrever e-mails, como eu, vai querer ter certeza de que tem alguém para olhar pelo seu trabalho. Sinta-se livre para contactar o meu editor pessoal aqui.
  • Calendário: Se grande parte do seu dia é cheia de reuniões e telefonemas, pode estar a desperdiçar tempo valioso a marcá-los. Use um assistente virtual para ajudar a manter o seu calendário em linha.
  • Suporte ao cliente: Manter os seus clientes felizes é importante para reduzir a sua taxa de churn (retenção de clientes). No entanto, não precisa de ter uma equipa completa a manuseá-los. Pode terceirizar para uma empresa como a Zendesk.

2. Planear em vez de agir

“No final, uma visão sem a ca­pa­ci­dade de a exe­cutar é pro­va­vel­mente uma alu­ci­nação.” – Steve Case, co-fun­dador da AOL

Um grande ne­gócio é cons­truído com ideias e exe­cução, não apenas a pri­meira. Deixar a pre­pa­ração tirar tempo da exe­cução pode levar ao fra­casso. Pla­near o que quer fazer é apenas um passo. Cer­ti­ficar-se de que as suas ideias estão vin­cu­ladas à ação é como trans­formar um sonho num ne­gócio.

Pode fazer isso ao de­ter­minar quais são os seus ob­je­tivos de ne­gó­cios e tra­ba­lhando para trás, para des­cons­truir a me­lhor ma­neira de os al­cançar, sob a forma de um plano passo-a-passo (muitas vezes cha­mado um plano de ne­gó­cios). Tenha cer­teza de que cada passo no plano tem uma des­crição al­ta­mente de­ta­lhada para que saiba exa­ta­mente o que pre­cisa com­pletar para al­cançar os seus ob­je­tivos.

3. Vender barato

Como novo em­pre­sário, pode pensar que a única ma­neira de obter e manter o ne­gócio é co­brar menos. No en­tanto, ao ofe­recer os seus ser­viços a menos do que o valor de mer­cado, cria uma série de pro­blemas.

Em pri­meiro lugar, vai ficar stres­sado. Quando pre­cisa de fazer uma quan­ti­dade X de di­nheiro para viver con­for­ta­vel­mente, e per­mite que os cli­entes re­ga­teiem para baixo, chegar a esse nú­mero não vai acon­tecer. Por sua vez, vai ter que tra­ba­lhar mais do que o seu ho­rário normal, dei­xando menos tempo para as ne­ces­si­dades da vida (por exemplo, o sono, o exer­cício, ali­men­tação sau­dável).

Em se­gundo lugar, não ser pago o que acha que vale pode faze-lo res­sentir o que faz. As pos­si­bi­li­dades são que se tenha tor­nado um em­pre­sário para per­se­guir uma paixão. Quando não é de­vi­da­mente com­pen­sados pelo seu tra­balho, isso pode levar a raiva e frus­tração que pro­va­vel­mente vai di­rigir para a sua pro­fissão e não para o pro­blema.

Por úl­timo, en­quanto pode estar a poupar di­nheiro aos seus cli­entes, pro­va­vel­mente está a custar de­mais para si. Quando não está a ser pago o su­fi­ci­ente, tem de en­con­trar mais tra­balho para com­ple­mentar o seu ren­di­mento. Pro­va­vel­mente já sabe que en­con­trar novos cli­entes nem sempre é fácil. O tempo que vai gastar a en­con­trar pistas vai di­mi­nuir a sua taxa ho­rária ainda mais. Man­tenha-se a um preço justo, e não he­site em dizer que não aos cli­entes que só querem ser­viços ba­ratos ou com des­conto.

4. Não investir em marketing

Mar­ke­ting não deve ser usado para cor­rigir um ne­gócio, mas sim para ajudá-lo a crescer – pense ali­mento versus re­médio.

In­vestir em mar­ke­ting é uma ca­rac­te­rís­tica comum de em­presas de su­cesso, grandes e pe­quenas. A razão pela qual essas em­presas con­ti­nuam a fazer do mar­ke­ting uma pri­o­ri­dade é que sabem o que este lhes vai trazer de volta – os cli­entes.

Tome a Apple, por exemplo. Cria al­guns dos pro­dutos mais uti­li­zados do mundo, e o nome da marca é co­nhe­cido em todo o mundo. No en­tanto, a em­presa ainda gasta cen­tenas de mi­lhões de dó­lares em mar­ke­ting cada ano. Porquê? Eles en­tendem o valor do mesmo. In­de­pen­den­te­mente de se é uma em­presa For­tune 500 ou uma pe­quena em­presa, o mar­ke­ting tem o seu lugar em todas as es­tra­té­gias de ne­gó­cios.

Co­mece a pes­quisar o seu mer­cado-alvo e, em se­guida, pense numa es­tra­tégia de mar­ke­ting que cabe no seu or­ça­mento. Não tem um or­ça­mento? Aqui estão al­gumas fer­ra­mentas de mar­ke­ting gra­tuitas para o ajudar.

5. Subestimar o valor do trabalho em rede

Ser um em­pre­en­dedor pode, por vezes, tecer o seu ca­minho para uma vida de so­lidão. Auto-em­prego não deve sig­ni­ficar que ne­gli­gencia as suas co­ne­xões pro­fis­si­o­nais (e pes­soais). Lembre-se: só é tão bom quanto a rede que cons­truir. Es­quecer isso pode custar-lhe todos os tipos de opor­tu­ni­dades.

Co­locar a ami­zade à frente é a me­lhor ma­neira de formar re­la­ções co­mer­ciais só­lidas – deixe o auto-in­te­resse fora da equação. Quando feito de forma con­sis­tente e ver­da­deira, a ajuda, re­fe­rên­cias e con­se­lhos even­tu­al­mente virão na­tu­ral­mente.

2015-08-22T18:12:58+00:00 Agosto 22nd, 2015|
error: