"Esforça-te como se nunca tivesses ganho,
actua como se nunca tivesses perdido!"

As 12 características das pessoas confiantes

Pes­soas con­fi­antes têm o dom de ins­pirar os ou­tros e con­se­guem passar das pa­la­vras às ações. Mas quais são as ca­rac­te­rís­ticas que me­lhor de­finem essas pes­soas?

A au­to­con­fi­ança as­sume vá­rias formas, desde a ar­ro­gância de Floyd Maywe­ather até à se­rena se­gu­rança de Jane Go­o­dall. A ver­da­deira con­fi­ança – por opo­sição à falsa con­fi­ança que as pes­soas pro­jetam para dis­farçar as suas in­se­gu­ranças – tem uma apa­rência muito pró­pria.

No que toca à au­to­con­fi­ança, uma coisa é certa: as pes­soas ver­da­dei­ra­mente con­fi­antes têm sempre van­tagem sobre as pes­soas du­vi­dosas e in­se­guras, uma vez que têm o dom de ins­pirar os ou­tros e de passar das pa­la­vras às ações.

“Quer você pense que con­segue, ou pense que não con­segue – você está cor­reto.” Henry Ford

A noção de Ford de que a nossa men­ta­li­dade tem um efeito po­de­roso na nossa ha­bi­li­dade para ter su­cesso está bem de­mons­trada nos re­sul­tados de um es­tudo re­cen­te­mente con­du­zido pela Uni­ver­si­dade de Mel­bourne, que mostra que as pes­soas au­to­con­fi­antes foram ca­pazes de ga­nhar or­de­nados mais ele­vados e serem pro­mo­vidas mais de­pressa que todas as ou­tras.

Aprender a ser au­to­con­fi­ante é cla­ra­mente im­por­tante, mas o que é que as pes­soas re­al­mente con­fi­antes fazem que as dis­tingue de todas as ou­tras?

Fi­zemos al­guma pes­quisa para des­vendar 12 há­bitos le­vados a cabo por pes­soas ver­da­dei­ra­mente con­fi­antes, para que possa in­cor­porar estes com­por­ta­mentos na sua ro­tina.

1. Elas procuram a sua felicidade a partir do interior

A fe­li­ci­dade é um ele­mento crí­tico para a con­fi­ança, porque para se ser con­fi­ante na­quilo que se faz, é ne­ces­sário ser feliz com aquilo que se é. As pes­soas que bri­lham com con­fi­ança de­rivam o seu sen­ti­mento de prazer e de sa­tis­fação a partir dos seus feitos al­can­çados. Elas sabem que in­de­pen­den­te­mente do que as ou­tras pes­soas digam, você nunca é tão bom ou tão mau quanto as ou­tras pes­soas dizem.

2. Elas não julgam os outros

As pes­soas con­fi­antes não julgam os ou­tros porque sabem que toda a gente tem algo para ofe­recer, e não pre­cisam de des­va­lo­rizar as ou­tras pes­soas para se sen­tirem bem con­sigo pró­prias. Com­parar-se com ou­tras pes­soas é li­mi­ta­tivo. As pes­soas con­fi­antes não perdem tempo a medir os ou­tros e a pre­o­cu­parem-se se estão ou não à sua al­tura.

3. Elas não dizem que sim a não ser que o queiram

In­ves­ti­ga­ções con­du­zidas na Uni­ver­si­dade da Ca­li­fórnia, em São Fran­cisco, de­mons­tram que quanto mais di­fi­cul­dade tiver em dizer não, mas pro­vável é que venha a sentir stress, exaustão e até de­pressão. As pes­soas con­fi­antes sabem que dizer não é sau­dável, e que têm a au­to­es­tima para dizer não de uma forma clara. Quando chega a al­tura de dizer não, as pes­soas con­fi­antes evitam frases como “acho que não posso” ou “não tenho a cer­teza”. Elas dizem não com con­fi­ança porque sabem que dizer não a um novo com­pro­misso honra os seus com­pro­missos exis­tentes e dá-lhes a opor­tu­ni­dade de con­se­guirem cumpri-los com su­cesso.

4. Elas ouvem mais do que falam

As pes­soas com con­fi­ança ouvem mais do que falam porque não sentem que têm algo a provar. As pes­soas con­fi­antes sabem que ao ou­virem ati­va­mente e ao to­marem atenção aos ou­tros, têm mais pro­ba­bi­li­dades de aprender e crescer. Em vez de verem as in­te­ra­ções como opor­tu­ni­dades de se pro­varem aos ou­tros, elas focam-se na in­te­ração em si pró­pria, porque sabem que esta é uma abor­dagem muito mais sa­tis­fa­tória e pro­du­tiva.

5. Elas falam com certeza

É raro ou­virmos as pes­soas re­al­mente con­fi­antes a mur­mu­rarem frases como “não tenho a cer­teza” e “eu acho que”. As pes­soas au­to­con­fi­antes falam as­ser­ti­va­mente porque sabem que é di­fícil con­vencer os ou­tros a ouvir se não con­se­guirem co­mu­nicar as suas ideias com con­vicção.

6. Elas procuram pequenas vitórias

As pes­soas au­to­con­fi­antes gostam de se de­sa­fi­arem a si pró­prias e com­petir, mesmo quando os seus es­forços apenas levem a pe­quenas vi­tó­rias. As pe­quenas vi­tó­rias cons­troem novos re­ce­tores an­dró­genos nas áreas ce­re­brais res­pon­sá­veis pela re­com­pensa e mo­ti­vação. O au­mento no nú­mero de re­ce­tores an­dró­genos au­menta a in­fluência da tes­tos­te­rona, que por sua vez au­menta a sua con­fi­ança e dis­po­sição para aceitar novos de­sa­fios. Quando tem uma série de pe­quenas vi­tó­rias, o im­pulso na sua au­to­con­fi­ança pode durar meses.

7. Elas praticam exercício

Um es­tudo con­du­zido no Ins­ti­tuto de Pes­quisa do On­tário de Este con­cluiu que as pes­soas que se exer­ci­taram duas vezes por se­mana du­rante 10 se­manas sen­tiram-se mais com­pe­tentes so­cial, aca­dé­mica e atle­ti­ca­mente. Elas também deram uma clas­si­fi­cação mais ele­vada à sua imagem e au­to­es­tima. Mas o mais im­por­tante é que em vez de serem as mu­danças fí­sicas nos seus corpos, foi a po­si­ti­vi­dade ali­men­tada pelas en­dor­finas li­ber­tadas pelo exer­cício que marcou a di­fe­rença e au­mentou a sua con­fi­ança.

8. Elas não procuram a atenção

As pes­soas não gostam da­queles que são de­ses­pe­rados por atenção. As pes­soas con­fi­antes sabem que serem elas pró­prias é muito mais eficaz que ten­tarem provar que são im­por­tantes. As pes­soas re­param na sua ati­tude e são mais atraídas pela ati­tude cor­reta do que por quem, ou quantas pes­soas, co­nhece.

As pes­soas con­fi­antes são ca­pazes de di­fundir a atenção. Quando estão a re­ceber atenção por um feito, elas ra­pi­da­mente trans­ferem o foco para todas as ou­tras pes­soas que tra­ba­lharam ar­du­a­mente e que a aju­daram a chegar lá. Elas não an­seiam por apro­vação ou elo­gios porque buscam a sua au­to­es­tima a partir do in­te­rior.

9. Elas não receiam estar erradas

As pes­soas con­fi­antes não têm re­ceio de es­tarem er­radas. Elas gostam de ex­pressar as suas opi­niões e ver se têm razão, porque aprendem muito com as si­tu­a­ções em que elas estão er­radas e as ou­tras pes­soas também aprendem con­sigo quando elas estão cor­retas. As pes­soas se­guras de si pró­prias sabem da­quilo que são ca­pazes e não vêm os seus erros como um fa­lhanço pes­soal.

10. Elas não têm medo de arriscar

Quando as pes­soas con­fi­antes vêm uma opor­tu­ni­dade, elas agarram-na. Em vez de se pre­o­cu­parem com o que po­derá correr mal, elas per­guntam-se a si pró­prias “O que me po­derá im­pedir? Porque é que não o posso fazer?”, e de­pois avançam para agarrar a opor­tu­ni­dade. O medo não as prende, porque sabem que se nunca ten­tarem, nunca irão con­se­guir.

11. Elas celebram outras pessoas

As pes­soas in­se­guras estão cons­tan­te­mente a du­vidar da sua re­le­vância, e por causa disto tentam roubar o foco e cri­ticar os ou­tros para pro­varem o seu valor. As pes­soas con­fi­antes, por outro lado, não estão pre­o­cu­padas com a sua re­le­vância porque buscam a sua au­to­es­tima a partir do in­te­rior. Em vez de se fo­carem in­se­gu­ra­mente em si pró­prias, elas são ca­pazes de se fo­carem no que está à sua volta, o que lhes per­mite ver todas as coisas fan­tás­ticas que as ou­tras pes­soas têm para ofe­recer. Elo­giar as ou­tras pes­soas pelas suas con­tri­bui­ções é uma con­sequência na­tural desta pos­tura.

12. Elas não têm receio de pedir ajuda

As pes­soas con­fi­antes sabem que pedir ajuda aos ou­tros não as fará pa­recer fracas ou com falta de in­te­li­gência. Elas co­nhecem as suas vir­tudes e fra­quezas, e olham para os ou­tros para pre­en­cherem os es­paços va­zios. Elas também sabem que aprender com al­guém mais ex­pe­ri­ente é uma óptima forma de pro­gredir.

2015-04-27T10:44:53+00:00 Abril 27th, 2015|
error: